e a grande pergunta: quem sou eu?

lucas e revista

um caminho, de muitos, a se percorrer... uma força, talvez... um convite à solidão... voltar-se para si, e ecoar

sexta-feira, 14 de março de 2014

fotografia

entrelaçamento sem imagem,
constante, inquieto e previsível

o sangue a fruta o calor
ritual de magia e vela


-----

saber onde buscar conforto

xadrez

meio aos tropeços, não sem erros e desvios
o sentido da vida é viver
saber aproveitar o que quiser aproveitar
jogar com as malandragens de cada acontecimento
ou pessoa, ou coisa qualquer que escolher
aprender a perder de bom humor
jogar, enganar, o outro engana e cair bem ao ser enganado

admirar do toque que o externo acerta dentro
e quedar deslumbrado
o que resta é buscar o que é mais agudo,
mas sabendo que tudo encanta

me expressar é desvendar o que te apeteces
sempre bons olhos que querem tudo
fazê-los teus
saudade sóbrio é saudade mesmo
Saudae embriagado é que tâmo bêbos.
vão dois, vem cinco, volta dez.
Cada um uma alegria que não cabe!

Ai, saudade sem dó, sem volta!
que vem e vai, mas fica sempre!
Saudade me sofrendo o peito!
E gente que sempre vem aparece...

A saudade desaparece, mas fica!
O mais sincero soluço,
o mais real... Essa falta que finge que arrefece
e numa segunda volta...

falta que faz, vai
e fica sempre...
sempre em mim
está
vai e volta
saudade que está, que vai
e que fica sempre...
saudade que sinto eu de você, filha...
e você de mim sente

domingo, 1 de agosto de 2010

nos ocupa um silêncio na alma
a gente só pode ver as estrelas
sentir o ar frio da noite
escapar dos pensamentos e abraçar a vida agreste
o calor e a estrada poeirenta
as plantas ressecadas de sol
o frio da madrugada
o córrego como um chocalho incessante embalando o sono da noite
passos abafados do gado
cada impecilho da vida da roça é uma fruta a ser devorada
e eu estou sedento
quero debruçar sobre cada problema
saber de cada

sexta-feira, 23 de julho de 2010

não quero saber do que se sabe para as coisas, mas do que se é para cada
quero todas as provas de fogo
até as em quais vou ser reprovado
qualquer coisa que se queira o torna ridículo
o querer
o contato é tanto que não pode ser oferecido
tem que ser pedido, exigido

quem pedir, favor seja longe dos meus olhos
aí pode pedir, mas não quero ver

ai, quem eu gosto e não gosta assim de mim
ou gosta, mas tem outros nortes

odeio quem é tão forte
gosto de quem se dá quando eu peço

não se deve pedir
eu peço, alguém mais pede

há de mais forte a vontade de pedir
quero carinho, afeto e contato